Caminhada cobra justiça pela morte de Juceli Mastey

A concentração da caminhada foi em frente à Câmara Municipal de Rio Negro e o percurso seguiu até a Praça Hercílio Luz, em Mafra, onde foi realizada uma oração em homenagem à Juceli. 


 

Para marcar um ano da morte da veterinária Juceli Mastey, familiares, servidores públicos e amigos promoveram uma caminhada nesta terça-feira (1), cobrando justiça e a conclusão do inquérito que investiga a morte da servidora. A manifestação reuniu cerca de 40 pessoas.

 

A concentração da caminhada foi em frente à Câmara Municipal de Rio Negro e o percurso seguiu até a Praça Hercílio Luz, em Mafra, onde foi realizada uma oração em homenagem à Juceli.

 

Segundo o irmão da vítima, Awanir Mastey, mesmo depois de um ano, a família não teve nenhuma resposta para o caso. “Um carro é uma arma e as pessoas precisam ser responsabilizados. Quero agradecer a todos por esta demonstração de inconformismo com o que está acontecendo”, disse em seu discurso.

 

De acordo com o advogado da família, Elias Bueno, o inquérito ainda aguarda um laudo complementar para ser concluído. “Estamos perplexos com a demora na conclusão e estamos cobrando e trabalhando incansavelmente para que a justiça seja feita. Os culpados deverão responder de acordo com sua culpabilidade e ser julgados por seus atos”, disse.

 

O prefeito eleito de Rio Negro, James Valério, também participou da caminhada e em seu discurso, afirmou que a impotência e a sensação de impunidade ainda prevalecem. “Esperamos que os familiares acalentem seus corações e continuem clamando por justiça, até que tenhamos respostas”, disse.

 

O acidente que vitimou a veterinária da prefeitura de Rio Negro ocorreu em 1º de dezembro de 2019, no km 2 da BR-116. Juceli dirigia um Fiat Pálio, quando sua pista foi invadida por outro carro em alta velocidade no sentido contrário da rodovia. O veículo da veterinária foi atingido e a colisão acarretou em sua morte.