Júlio Garcia contesta denúncias do MPF

Acusado de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e fraude em licitações, Garcia partiu para o ataque.


O  presidente da Alesc, deputado Julio Garcia (PSD), quebrou o silêncio na sessão ordinária de terça-feira (6) sobre as denúncias do MPF. Acusado de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e fraude em licitações, Garcia partiu para o ataque.

 

O deputado se disse inocente e vítima de ilações que teriam como objetivo minar o ambiente político às vésperas dele assumir a cadeira de governador, caso seja confirmado o afastamento de Carlos Moisés (PSL) e da vice, Daniela Reinehr (sem partido).

 

Garcia não poupou os procuradores federais e foi duro nas críticas. “O assunto passou a ser pessoal, de intolerância pela frustração da operação Alcatraz, que desde o seu início me havia eleito como o alvo ou bode expiatório daquilo que pensaram ser o grande caso ou o espetáculo promovido às custas da reputação alheia”, declarou.

 

Sobrou até para a imprensa, mas não toda. O deputado disse que “um segmento da mídia” teria aderido à tese da condenação sumária e inclusive questionou que repórteres tenham procurado deputados para comentarem as denúncias contra ele. Disse que os profissionais estariam “instigando os parlamentares a prejulgar o presidente”.

 

Após longo discurso, o presidente da Alesc foi confortado pelos seus pares, diversos deputados fizeram fila para usar a palavra e elogiar a conduta de Julio à frente do parlamento catarinense. O desabafo ganhou tom de recado ao MPF.

 

Impeachment

O relator do tribunal julgador do processo de impeachment contra o governador Carlos Moisés e a vice, deputado Kennedy Nunes (PSD), deve apresentar nesta quarta-feira seu voto sobre a continuidade ou não do processo. Se for aceito pela comissão mista, formada por cinco desembargadores e cinco deputados, governador e a vice devem ser afastados do cargo por 180 dias enquanto respondem ao processo. A entrega do voto será feita ao presidente do Tribunal de Justiça e ao que tudo indica a votação do relatório preliminar pode ocorrer ja nesta sexta-feira.

 

Onix e Moisés

Na mesma sexta-feira em que o tribunal julgador do impeachment se reúne para analisar a possibilidade de afastamento temporário de Moisés, o governador receberá um convidado de peso na Casa D’Agronômica. O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, vem ao estado para anunciar o Programa de Aquisição de Alimentos, que tem como objetivo promover o acesso à alimentação e incentivar a produção de alimentos dos agricultores rurais do estado.

 

PDT 

O Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina, por unanimidade, desaprovou as contas do Partido Democrático Trabalhista (PDT) de Santa Catarina, relativas ao exercício de 2017. O relator do processo foi o juiz Jaime Pedro Bunn. O juiz relator verificou a omissão de despesas, como conta bancária não declarada originariamente pelo partido. O PDT alegou desconhecimento da existência da conta. Além disso, foi observada a ausência de emissão de recibos eleitorais de doação e não apresentação de extratos de duas outras contas bancárias existentes.

 

Capital da Inflação 

Os preços do conjunto de alimentos da cesta básica aumentaram nas 17 capitais brasileiras pesquisadas em setembro. As maiores altas foram observadas em Florianópolis (9,80%), Salvador (9,70%) e Aracaju (7,13%), de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). O preço do óleo de soja aumentou em todas as capitais, assim como o valor médio do arroz agulhinha.

 

Preservação 

O Parque Estadual Rio Canoas, localizado em Campos Novos, ganhou uma nova área de 94 hectares. A área que passa a integrara a Unidade de Conservação foi adquirida pela empresa EDP como compensação ambiental por supressão de vegetação para projeto de Linha de Transmissão. O local foi indicado pelo IMA devido à grande preservação de araucárias e por ser anexa ao Parque Estadual Rio Canoas.