Por falta de efetivo, Polícia Militar suspende PPT, Canil, Patrulha Rural e ROCAM em Mafra

Sem efetivo para o atendimento na cidade, Mafra precisa disponibilizar em média 10 policiais por dia para atender Itaiópolis, Papanduva e Monte Castelo.


Fotos: Divulgação

 

 

Há pelo menos sete anos, Mafra não recebe novos policiais. Desde então, considerando as aposentadorias, o efetivo mafrense só diminui.

 

Com um déficit de pelo menos 12 soldados, a Guarnição Especial da Polícia Militar de Mafra (Gemfra) precisa disponibilizar em média 10 policiais por dia para atender Itaiópolis, Papanduva e Monte Castelo.

 

Para suprir o desfalque diário, a única alternativa para a Polícia Militar foi suspender alguns serviços específicos, como ROCAM, Canil, Patrulha Rural e PPT, concentrando o trabalho nas patrulhas e atendimentos de ocorrências diárias.

 

 

Na segunda-feira (22), a Secretaria de Segurança Pública de Santa Catarina (SSP/SC) distribuiu 488 novos policiais em todo o Estado, porém, mais uma vez, Mafra não foi agraciada com nenhum soldado.

 

No Planalto Norte, apenas o batalhão de São Bento do Sul, que atende também Rio Negrinho e Campo Alegre, recebeu 15 novos policiais. A última vez que novos PMs foram nomeados para Mafra, foi entre 2012 e 2014, quando o efetivo recebeu o reforço de 15 recém-formados.

 

 

Os serviços suspensos

PPT (Pelotão de Patrulhamento Tático): Equipe tática pronta para agir em ocorrências mais graves, como por exemplo, assaltos a banco;

 

Canil: Realiza patrulhamento preventivo e utilizando cães em operação antidrogas;

 

Patrulha Rural: Realiza rondas e patrulhamento preventivo nas localidades do interior;

 

ROCAM (Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas): realiza o policiamento preventivo de trânsito, principalmente em locais onde não é possível ir com carro, atuando na prevenção ao uso de drogas e atendimento de acidentes de trânsito.