Volta às aulas em SC terá foco em reforço pedagógico e começa com alunos do terceirão

O ensino presencial em Santa Catarina está suspenso há seis meses, em função da pandemia de coronavírus e ainda divide opiniões.


 

O Plano Estadual de Contingência para a Educação de Santa Catarina (PlanCon), que vai regular o retorno às aulas, foi apresentado na manhã desta quarta-feira (9), em evento online com os Secretários de Educação, Saúde, diretor da defesa Civil, servidores estaduais e representantes de diversos órgãos, como Ministério Público, Fecam e Assembleia Legislativa.

 

Após a apresentação do PlanCon, o secretário de Educação, Natalino Uggioni, concedeu entrevista coletiva e explicou que a primeira semana de volta às aulas será para receber professores e demais colaboradores. Na semana seguinte, os alunos do 3º ano do ensino médio, que estão com dificuldades para absorver o ensino online, retornam ao ensino presencial nas escolas.

 

O ensino presencial em Santa Catarina está suspenso há seis meses, em função da pandemia de coronavírus e ainda divide opiniões. Para a deputada Luciane Carminatti, que participou da apresentação do PlanCon e preside a Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, é muito diferente abrir escolas e abrir bares, restaurantes e shoppings centers.

 

“Vejo com muita preocupação se pensar no retorno às escolas tão logo e, mais, ainda este ano. Vamos correr o risco para quê, se estamos prestes a terminar o ano? É razoável que coloquemos em risco cerca de 1,7 milhão de estudantes e profissionais da educação?” questionou Carminatti.

 

Os detalhes do PlanCon

O retorno às aulas em SC será gradativo. Primeiramente, o ensino retorna para os alunos do terceirão. Na semana seguinte, os alunos do segundo ano e assim sucessivamente.

 

De acordo com o secretário de Educação, neste momento, as escolas estão realizando conselhos de classe para listar os alunos que serão convidados para o reforço. Ele também destacou que professores do grupo de risco não serão convidados para aulas presenciais, permanecendo em casa, oferecendo ensino no formato online.

 

“Entendemos que teremos um número pequeno de alunos. Isso nos permitirá um movimento mais suave. Aquele estudante que estiver participando bem das aulas online, não será proibido de ir a escola. Precisamos de uma transição amena. Por isso, entendemos essa forma melhor. Além disso, os alunos do terceiro ano têm vestibular, Enem e vão deixar a nossa escola no final do ano”, destacou Uggioni.

 

De acordo com o PlanCon, os alunos do terceiro ano do ensino médio e alunos do 9º, 5º e 2º ano do fundamental podem voltar a escola no contraturno da aula para receber aulas de reforço em 2021.

 

As regras também valem para os municípios, mas os prefeitos e secretários de saúde devem fazer a gestão da retomada das aulas nas cidades catarinenses. Como não há ensino médio nas escolas municipais, a retomada, neste caso, é para os alunos do 9º ano.

 

A rede particular poderá seguir a mesma referência. A partir de 13 de outubro, escolas começam a receber professores e profissionais e, na segunda-feira seguinte, os alunos. Assim como na rede estadual, as aulas serão de reforço e não serão passados novos conteúdos.

 

Professores do grupo de risco do coronavírus não serão chamados pela Secretaria de Educação para as aulas presenciais. Eles devem continuar trabalhando de casa, na plataforma online de ensino.

 

Com informações da SC Portais.